As cem linguagens da Criança

A criança é feita
A
criança tem cem linguagens
Cem mãos cem pensamentos
Cem maneiras de pensar
De brincar e de falar
Cem sempre cem
Maneiras de ouvir
De surpreender de amar
Cem alegrias para cantar e perceber
Cem mundos para descobrir
Cem mundos para inventar
Cem mundos para sonhar.
A
criança tem
Cem linguagens
(e mais cem, cem, cem)
Mas roubam-lhe noventa e nove
Separam-lhe a cabeça do corpo
Dizem-lhe:
Para pensar sem mãos, para ouvir sem falar
Para compreender sem alegria
Para amar e para se admirar só no Natal e na Páscoa.
Dizem-lhe:
Para descobrir o mundo que já existe.
E de cem roubam-lhe noventa e nove.
Dizem-lhe:
Que o jogo e o trabalho, a realidade e a fantasia
A ciência e a imaginação
O céu e a terra, a razão e o sonho
São coisas que não estão bem juntas
Ou seja, dizem-lhe que os cem não existem.
E a
criança por sua vez repete: os cem existem!

Loris Malaguzzi (1996)

Educar é Tudo!

Olá Pessoal,

Estou postando alguns slides construídos e apresentados ao longo do curso. Os slides podem ser vistos a seguir, caso vocês tenham algum em seus arquivos favor postar, Beijos a todas!!!

Apresentação slide Fundamentos e Didática da Matemática I

Apresentação Seminário Pesquisa e Prática Pedagógica IV

Apresentação Trabalho Estudos da Sociedade na Educação Infantil

Seminário Pesquisa e Prática Pedagógica I

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

PLANEJAMENTO BIMESTRAL

 

PLANEJAMENTO BIMESTRAL (de Unidade)

 

 

Instituição:

Coordenação Pedagógica:

Disciplina: História da Arte

Professor(a)s: Equipe Construindo Saberes

Duração da atividade: 16h (seqüência didática/1Bimestre)

[ X ] Ensino Fundamental [ X ] 4- Ano

Conteúdos : diversidade, linguagem oral, desenho artístico.

Disciplinas envolvidas: História, Língua Portuguesa, Artes.

 

1 - Tema:

 

Artes

 

 

2- Objetivos

 

Objetivo Geral

desenvolver o processo criador e auxiliar a criança a reconhecer a arte como instrumento importante na análise de momentos históricos.

ETAPA -1
 

 

Objetivos específicos:

  • Compreender como os desenhos, as pinturas ou as fotos podem representar uma época.

 

3- Orientação Didática

 

 

  • Pesquisar através de um gráfico cronológico da Arte, da Pré-História até a idade atual (séc. XX e início XXI) fotos para mostrar aos alunos e questioná-los sobre as imagens que vêem, que época elas retratam, os vestuários do período, costumes e outras características, utilizando a imagem como documento histórico.

 

4 - Avaliação

 

 

  • Desenvolver a percepção, imaginação e interpretação do passado através da imagem artística.

 

ETAPA – 2

 

 

5 – Objetivo Específico

 
  • Identificar as fotografias como instrumentos importantes na análise de momentos históricos.

 

6- Orientação Didática

 

 

Selecionar algumas produções (fotos de pinturas e desenhos de obras de artes do período paleolítico), organizar numa bancada todo esse material e deixar o aluno livre para interpretar as imagens que ela representa de acordo com seus conhecimentos prévios.

 

7- Avaliação

 

 

  • Expressar idéias sobre a leitura da arte.

 

 

ETAPA -3

8– Objetivo Específico

 

 

  • Reconhecer as obras de arte sobre o cotidiano brasileiro como parte de nossa história.

 

9– Orientação Didática

 

 

  • Trabalhar as diferentes formas de transmissão de conhecimentos e diversidades de culturas, através das obras de Tarsila do Amaral.

 

10– Avaliação

 

 

  • Estimular discussões a partir da leitura de imagens.

 

 

ETAPA – 4

 

11 – Objetivo Específico

 

 

  • Desenvolver o processo criador para que o aluno possa expressar-se através da arte.

 

12 – Orientação Didática

 

 

  • Promover um percurso de criação pessoal, para o aluno fazer um trabalho de autoria imprimindo suas marcas subjetivas e expressando idéias através de uma representação artística.

 

13– Avaliação

 

 

  • Participação com apoio técnico individualizado, indicando caminhos e debatendo resultados.

 

14– Observação

 

 

  • Percebe-se que essa avalanche de imagens sobre a nossa história é extremamente útil aos nossos alunos na interpretação do passado e ao gosto e admiração pela Arte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referências Bibliográfica:

 

 

Na minha escola todo mundo é igual | ROSSANA RAMOS & PRISCILA SANSON | gênero: Educativo / Infantil |editora Cortez|Português|20 páginas| ano 2004 .

LIPMAN, Mathew. O Pensar na Educação. Tradução de Ann Mary Fighiera Pérpetuo. Petrópolis: Vozes, 1995.

http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=658

revistaescola.abril.com.br/edicoes/0182/aberto/mt_67296.shtml - 43k -

SOUZA, Irene Sales de. Trabalhando como preconceito e a discriminação na escola: Relato de uma experiência. In: Pedagogia Cidadã – Cadernos de Formação – Fundamentos Sociológicos e Antropológicos da Educação. São Paulo. Unesp, Pró Reitoria de Graduação, 2003.

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário